Brutal

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2006


Bom, parece que a pausa para o café se alongou de mais... Mas já estou de volta...
Hoje vou abordar a questão da violência exercida por militares Ingleses sobre prisioneiros iraquianos.
Estava a ver o vídio que passou mais do que uma vez nos noticiários e, apesar de ser a terceira ou quarta vez a que assistia, continuou a chocar-me muito e a deixar-me algo consternado.
Ainda que o stress da guerra seja muito forte e que por vezes se percam as estribeiras, ainda se admite, agora, bater deliberadamente, e apenas para se divertir, não me parece, de todo, bem.
É muito triste ver abusos de poder, e pior, ver alguém bater em quem não se pode defender.
Ora, se por vezes criticamos os iraquianos pelo seu ódio aos Americanos e seus aliados, também devemos ser coerentes ao ponto de reconhecer o erro cometido por estes senhores militares.
Esta questão apenas vai inflamar ainda mais os ânimos dos iraquianos e os seus actos de violência...
Só me apraz dizer uma coisa: BRUTAL...

1 Disseram...:

Paula Raposo disse...

Sem dúvida. A violência atrai violência. Não conduz mesmo a nada. Beijos