Reflexão de improviso

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Há muito já que não escrevo um texto aqui no blog.
Há muito já que não dormia tão mal como estas duas últimas noites.
Tenho andado atolado de trabalho, cheio de preocupações, em constantes avaliações.
Sinto-me, nesta hora cansado, abatido, cabiz-baixo. No entanto quando o dia irrompe, quando o Sol se levanta, quando sinto lá fora a chuva cair, sinto-me bem, feliz e maravilhado por ter a vida que tenho.
É à noite que dói, que os sonhos me invadem, que o ideal, aquilo que sonho para mim, esbarra no exame de consciência do meu dia. Não faço o que quero, o que me proponho, sinto-me fraco, desiludido, triste e incapaz. Sei que tenho mudado, sei que tenho progredido, mas sei que me falta ainda muito caminho para precorrer. No entanto, hoje, sinto-me cansado, sem forças, amargurado, doente sem ter nada que me doa (a não ser talvez a alma).
Tenho estado conTigo, no entanto, parece que cada vez sinto mais a Tua falta. É bom sinal, mas, mais uma vez dói, porque não consigo estar conTigo tanto quanto tu merecias e eu precisava.
Amanha, ou melhor, daqui a pouco, mais um dia se levanta, a chuva provavelmente continuará a cair, a regar os campos, a traçar caminhos pelas ruas das cidades, vilas e aldeias. E eu, bem, eu continuarei na minha labuta do dia-dia, sempre um dia diferente, sempre um dia novo, sempre o novo dia que chega. As aulas podem ser as mesmas, os horários não sofreram qualquer alteração, mas o dia será certamente outro, tão diferente e tão ou mais belo como o de hoje que passou...
Uma linhas soltas, uma reflexão de improviso, uma visita para matar saudades, um olá a todos os que não tenho visitado, um até já a todos os que voltarão.
Sabe tão bem escrever, acalma-me, apazigua-me, deixa-me de veras mais encontrado comigo mesmo e por conseguinte conTigo também.
O sono, incrivel ou milagrosamente parece estar a chegar (já não era sem tempo). O sorriso está a voltar ao meu rosto, não consigo contê-lo, é estranho, mas verdade - estou a rir-me sozinho... :)
Apetece-me também chorar, ao mesmo tempo, mas este choro que me apetece é aquele choro bom de incompreensão. Do tipo, eu sendo como sou, tenho uma vida maravilhosa, única, fantástica, com dores, dificuldades, angústias, alegrias, amizades, traições, fidelidades, acima de tudo conTigo.
Deixa-Te ficar comigo, acolhe-me em Teu colo hoje, passa a mão pela minha cabeça, deixa-me sentir o carinho, o Amor que Tu me tens. Desce da cruz hoje para Te sentares na minha cama, para me recolheres em Teu seio, para me dares a força que eu preciso para continuar a caminhar na alegria, para continuar a caminhar conTigo e para Ti. Abraça-me esta noite, aperta-me hoje, conforta-me agora...
Tentarei passar mais vezes, e obrigado por me ouvirdes, sois parte integrante desta maravilha que é a minha vida...

5 Disseram...:

Paula Raposo disse...

Há muito tempo que não escrevias é verdade. Gostei desta tua reflexão e espero que todos os dias te tornem ainda melhor e te possam trazer a felicidade que mereces. Muitos beijos.

A Flôr disse...

Bonita reflex�o. :D

Amigo, que Deus te conceda tudo o que necessitas em cada manh� do teu viver.

Abra�o tu, bem apertadinho e lembro-te que �s importante para Deus e para mim tamb�m! :)

Boa noite e muita paz e tranquilidade � o que te desejo

Amiga Flor com ternura
:)

Pe. Vítor Magalhães disse...

N´Ele colocas a confiança Ele te compensará!

Paulo disse...

Escrever, não só aqui como "ali" é bom, é uma maneira de falar com Ele. Umas vezes no silêncio da mente e outras no silêncio do papel, mesmo que esse seja apenas virtual. Fica com Deus.

Pinguim Alegre disse...

Que saudades de ler estas partilhas!

Um enorme abraço