Um Amigo

segunda-feira, 22 de janeiro de 2007




A importância de um amigo na nossa vida é muito grande! Disto ninguém tem a menor dúvida. Então eu faço uma pergunta: - Porquê desprezar tanto os amigos quando os temos e relativizar o valor de um amigo?
Nesta nossa sociedade de consumo, de competição, de interesses, os verdadeiros valores, como a amizade e o Amor verdadeiro, são menosprezados, postos de parte sendo facilmente substituídos pela vontade de subir na carreira, de ascender ao posto mais alto, de querer mandar e não ser mandado. Os colegas de trabalho deixaram de ser vistos como amigos, possíveis apoios em alturas difíceis da vida, como uma viga sólida na edificação da nossa casa interior, para passarem a ser vistos como adversários, como possíveis concorrentes na hora de subir! Deixou de se viver na verdadeira entreajuda e amizade, para se passar a viver numa hipócrita e mascarada “amizade” onde as costas do outro são o alvo e não o sítio para repousar as nossas mãos num abraço reconfortante e reconfortador.
Estas relações estabelecidas e desencadeadas pela vontade de dominar, pela sede de poder, favorecem os manipuladores, os “jogadores”, os que usam os outros como trampolim a fim de chegar mais alto, mesmo que para isso o trampolim perca a força e seja encostado a um canto, substituído por outro novinho em folha.
A dor de se ser traído, é muito grande e da mesma forma que um verdadeiro amigo pode despertar em nós a coragem, a vontade, a força, também um desses falsos amigos, pode fazer com que nós percamos a coragem, nos tornemos menos fortes nas nossas convicções, menos crentes na verdade. É mais fácil uma pessoa traída pela justiça, voltar a acreditar nela do que uma pessoa traída pela amizade (re) acreditar nela.
Por isso nas nossas relações com os outros devemos ter sempre presente esta força negativa que tem uma amizade traída.
Mas esta ideia de uso e abuso dos amigos, de que os amigos aparecem como os cogumelos, e por conseguinte não nos devemos preocupar já que se perdemos um, logo teremos dois ou três candidatos para o lugar é-nos apresentado diariamente e mesmo inconscientemente, ganha força enraizando-se dentro de nós. Basta para isso que liguemos as televisões, leiamos os novos romances que todos os dias chegam às nossas bancas.
Mas nem só de falsos amigos vive o mundo, contra tudo o que nos rodeia, contra aquilo que nos fazem crer, contra a mentalidade da sociedade hodierna, ainda se encontram pessoas verdadeiras, que acreditam nos valores e fazem deles a base da sua existência, da sua conduta, da sua maneira de estar na vida. É desses que nos devemos orgulhar e neles contemplar a maravilha do ser humano. Há quem veja no amigo, a base para a vida, o combustível para o motor da sua existência funcionar.
É tão belo viver uma amizade desinteressada, sem segundas intenções, tendo como sustento apenas o carinho, a estima, a complementaridade, a entreajuda. Mas estas características de amizade escasseiam à medida que os anos passam e que a sociedade se modifica, por isso, quando se encontram estas características noutra pessoa até parece mentira. Levamos tempo a acreditar que seja verdade.
Talvez esteja aí o grande problema da dificuldade de se encontrar uma amizade pura: o tempo, ou melhor, a falta dele…
Num tempo em que tudo é rápido, em que se luta para que tudo aconteça a um ritmo frenético, em que trocamos os cartões de Natal por e-mails de boas festas, em que trocamos um telefonema por uma mensagem, entre outros, é difícil cultivar a amizade. É que esta exige tempo, dedicação, paciência, presença, atenção, estima, carinho, compreensão, capacidade de perdão, capacidade de saber ouvir, capacidade de saber dizer não na altura certa. E estas necessidades todas “roubam” muito tempo à nossa azáfama diária, e muitas pessoas não estão dispostas a isso. Mas não sabem que esse tempo não é perdido, pelo contrário é um tempo ganho e muito bem aplicado.
É tão bom ter um amigo que nos compreenda, que nos acolha de braços abertos, que nos conforte e nos ajude a ultrapassar as dificuldades, que compartilhe não só as tristezas mas também as alegrias.
O amigo, é aquele que está sempre connosco, embora por vezes não esteja onde nós estamos.
Pois é, um amigo é tudo isso e muito mais que não dá para expor por palavras! Um amigo é: UM AMIGO...

Fernando Catarino
Para Jornal Terra Quente

PS: Desculpem aqueles que já tinham comentado, mas aconteceu uma dificuldade técnica e tive de postar de novo...

Espero os vossos comentários, mais uma vez, lool...




7 Disseram...:

Inexitah disse...

é tao importante ter uma amizade sincera e desinteressada. é tao bom termos um ombro com quem contar,é tao reconfortante.
Acabei à pouco tempo de perder um dos pilares fundamentais da minha vida e mais uma vez por um problema que esta a conseguir afectar toda a nossa sociedade de maneira impressionante: a falta de tempo. Juntando a isso está a nossa pouca capacidade para estabelecer prioridades e ver, enquanto é tempo, quem nos faz falta verdadeiramente.

Gostei aqui deste cantinho
**

Anónimo disse...

A amizade é, sem dúvida, o sentimento mais nobre porque nada exige e tudo dá. Gostei de ler.
Beijos

Paula Raposo disse...

Pois eu tinha comentado!!! Gostei de ler. Beijos.

Anónimo disse...

Vale Amigo!!!

Ana disse...

Tu escreves num jornal? :)

Santo Herege disse...

Quem pode interpretar melhor um texto sobre a amizade do que o leitor amigo do amigo que escreve?
Força amigo...

(Ah... e é pena que nestes post's da amizade não apareçam os "ditos anónimos")!!!!

Abraço

Catarino disse...

Inexitah, por ser um problema tão grave e tão comum na nossa sociedade actual eu resolvi englobá-lo neste tema da amizade, a fim de alertar as pessoas (ou pelo menos tentar) de que vale mais um amigo do que muito tempo gasto a fazer coisas que por vezes nem importantes são...
Pode ser que consiga chegar a duas ou três pessoas, se assim fosse já ficava contente...
Dizes uma coisa importante, falta-nos saber estabelecer prioridades. Não é facil, mas devemos tentar é uma questão de práctica...
Beijo, gostei muito do teu comentário...Espero vêr-te mais vezes por cá....

Agua_quente, é como dizes, a amizade dá tudo sem exigir nada em troca, completamente diferente do amor, que exige o mesmo sentimento de volta...E quantas vezes nós vemos ou somos amigos de alguém sem que essa amizade seja correspondida???E... Mesmo assim continuamos a cultivar essa amizade...
Um beijo

Paula, sim eu já tinha lido o teu comentário...Brigado...
Aquele beijo especial para ti...


Pe. Vitor: De amigo para amigo...


Sim Ana, escrevo para um jornal de Mirandela, comecei este ano, no dia 1 de Janeiro... São umas crónicas pessoais, quinzenais...
Um beijo..


Santo tens toda a razão, presumo por isso que o tenhas interpretado da forma mais perfeita!!!
Um grande abraço meu Amigo....